5 dicas para consultórios pequenos


Dicas para consultórios pequenos
Projeto da DABUS ARQUITETURA para clínica oncológica.

Desenvolver serviços de saúde requer a busca constante pela excelência. Lidar com vidas vai muito além do aspecto meramente físico. No dia a dia das clínicas médicas a maneira como o paciente se sente faz toda a diferença. Desse modo, suas percepções, sensações, emoções e pensamentos impactam indiretamente sobre o tratamento realizado. Portanto, é essencial coordenar recursos que ajudem a proporcionar mais conforto, segurança e equilíbrio. E isso não é só para as grandes organizações. Consultórios pequenos também podem ter uma estrutura eficiente.

Para muitos a questão da área disponível é um problema intransponível. Naturalmente que é necessário contar com um metro quadro mínimo a certos tipos de atividades. Mas em geral, com um planejamento inteligente, é perfeitamente possível otimizar o espaço e torná-lo, assim, apto a entregar boas experiências. Isso é de suma importância em ambientes voltados à saúde humana.

Hoje veremos como tornar espaços de clínicas reduzidas mais organizados, funcionais e agradáveis. Siga com a gente!

Consultórios pequenos e suas potencialidades

É fundamental que um negócio saiba enxergar e explorar suas potencialidades. Por conseguinte é possível trabalhar melhor seus diferenciais e agregar valor a partir de vantagens únicas.

Consultórios pequenos, no caso, têm a oportunidade de estabelecer um contato mais aproximado com cada paciente. Isso não apenas nos contatos presenciais, mas via telefone, e-mail, redes sociais e outros canais de comunicação.

Outra facilidade é a manutenção do local. Devido ao tamanho enxuto é mais prático deixar a limpeza, o funcionamento dos equipamentos e a jardinagem, por exemplo, sempre em dia.

A sensação de aconchego também pode ser um trunfo. No entanto, isso dependerá do conjunto da ambientação. No fim das contas, o estabelecimento tende a se tornar mais humanizado.

Para potencializar ainda mais esses fatores e oferecer um atendimento que não deixa nada a desejar para as grandes clínicas, vale recorrer a cuidados como esses que elencamos a seguir:

1. Espelhos

Como consultórios já costumam apresentar cores claras, que dão a impressão de amplitude, vale citar aqui os espelhos. Eles representam um ótimo artifício para fazer com que o espaço ganhe ainda um pouco mais de profundidade. Então, aplicados nos lugares certos, eles ajudarão a evitar aquela sensação de “aperto”.

2. Vidro

Uma visão para fora será de grande valia para que a “claustrofobia” passe longe dos pacientes. Logo, invista em janelas e portas de vidro! Além, de proporcionar contato com o exterior, o material permite a entrada de luz natural. Ela é muito bem-vinda, pois ajuda a deixar a atmosfera mais vívida e confortável.

3. Divisórias

Ambientes podem ser delimitados com o auxílio de divisórias dos mais diversos acabamentos. Até mesmo cortinas são capazes de cumprir a função, em alguns casos. O grande benefício é que essa saída evita a perda de área que é comum com a construção de paredes. Além disso, também é uma solução mais flexível a possíveis rearranjos no espaço.

4. Minimalismo

O estilo minimalista é marcado por elementos como formatos geométricos, linhas retas, cores neutras e design pouco volumoso. Precisa falar mais alguma coisa? Pois é, ele é perfeito para consultórios pequenos. Ao mesmo tempo que mantém uma estética clean, ele favorece a otimização do espaço.

5. Cubos de pronto atendimento

Uma tendência que vem sendo adotada – em hospitais já é comum – são as áreas de pronto atendimento clínico mais compactas. Elas são voltadas à realização de exames rápidos e a pacientes com problemas menos graves. São “cubículos” que podem ser implementados de forma descomplicada. Sobretudo, porque não necessitam de muitos equipamentos. Somente o básico é destinado para esses locais.

A DABUS ARQUITETURA é especializada em Arquitetura Clínica. Contamos com uma equipe criativa e experiente, pronta para mergulhar nas particularidades do seu projeto. Portanto,entre em contato e saiba melhor como podemos te ajudar!

Referências: The Wall Street Journal, Becker’s Hospital Review.