Arquitetura e segurança: Como estreitar essa relação?


Arquitetura e segurança

Seja em uma moradia, em um prédio público ou privado, seja nas ruas. Todos querem se sentir seguros! Sobretudo quando os setores responsáveis pelos temas relacionados no país encontram dificuldades em criar políticas que garantam a integridade de todos. Mas é preciso ir mais longe e pensar também na relação Arquitetura e segurança.

Como os projetos, para além das providências pessoais e governamentais, podem contribuir para reforçar a tranquilidade dos ocupantes? Como a tecnologia pode ser aproveitada nesse sentido?

A Arquitetura está intimamente ligada ao estilo de vida de um bairro, de uma cidade, de um país. Então, ela acaba por também contemplar o quesito “segurança”. E é sobre isso que queremos falar hoje.

Acompanhe, porque isso tem tudo a ver com o seu negócio, sua casa e sua rotina de modo geral.

A aplicação da segurança sobre aspectos arquitetônicos

Há diferentes pontos sobre os quais a Arquitetura deve ser planejada para promover a segurança de um local. Entre eles: 

  • – Acessos: Quem pode e quem não pode entrar? Qual trajeto deve ser realizado pelos visitantes? Quais espaços são restritos? E como acompanhar o fluxo de pessoas? O projeto arquitetônico deve se desdobrar sobre fatores como esses, buscando sempre os melhores recursos para, de preferência, automatizar a vigilância do estabelecimento.
  • – Iluminação: Somada à pública e, muitas vezes, suprindo suas carências, a iluminação patrimonial tem de garantir fácil visão de todos os lados e cômodos de um prédio. Inclusive para facilitar a checagem das filmagens feitas pelas câmeras de segurança, caso necessário. Pontos de reforço, detectores de intrusão e luzes de emergência também devem ser previstos.
  • – Paisagismo: Além da iluminação, as áreas verdes também precisam ser analisadas com cuidado. Isso porque a vegetação escolhida e sua aplicação não podem assumir uma altura ou fazer sombras que venha a dificultar a visualização do entorno. Sua escolha pode, inclusive, servir para proteger mais o imóvel. Ela pode, por exemplo, dificultar alguns acessos, seja por conta de sua espécie ou pelo local onde foi posicionada. 
  • – Portões, portas e janelas: Para começar, o material desses itens tem de ser altamente resistente. Depois, é importante que permitam implementar sistemas inteligentes de abertura e fechamento. A blindagem é outra opção a ser considerada. O posicionamento desses elementos de acesso também deve ser definido para dificultar a entrada de pessoas indesejadas.

Enfim, esses são apenas alguns exemplos de cuidados a serem tomados.

Mas como Arquitetura e segurança podem ser reforçadas?

Embora as providências mencionadas acima e a tecnologia sejam aliadas indispensáveis da segurança nos prédios, ainda é possível ir além. Para tanto, é necessário concebê-la de uma forma ainda mais abrangente.

Como a Arquitetura pode ajudar a proteger também as informações e documentos de uma empresa? Como pode entregar adequações de acessibilidade confiáveis? De que maneira pode servir como um “porto seguro” para toda a comunidade?

É essencial que a segurança seja pensada e integrada desde o início de um projeto. Assim se torna possível antever problemas junto de uma equipe especializada no assunto. Essa é uma situação típica, que representa bem aquele antigo ditado: é melhor prevenir do que remediar. 

Os projetos da DABUS ARQUITETURA são desenvolvidos para atender a necessidades específicas, verificadas caso a caso. Por isso, as soluções aplicadas são sempre personalizadas. O que não é diferente quando falamos em Arquitetura e segurança.

Entre em contato conosco e saiba mais!

Referência: Fórum da Construção, Blog Diprel