A atuação do Facility Manager em benefício da Arquitetura Corporativa


Se a sua empresa não tem ou não valoriza a área de Facility Management, então é hora de ela começar a mudar os seus conceitos.

A integração da gestão do negócio com suas “atividades suporte” é essencial para que a companhia desenvolva sua missão de modo sustentável e eficiente, mantendo sua competitividade e obtendo o lucro desejado.

A Facility Management, antiga área de Serviços Gerais, é de suma importância neste sentido, e as empresas brasileiras precisam acordar para perceber os seus benefícios e, assim, investir mais em sua otimização sistêmica.

Trata-se de uma forma de gestão inteligente que administra de modo integrado diferentes serviços, incluindo a manutenção da infraestrutura e dos recursos prediais disponíveis, com o intuito de assegurar a funcionalidade do ambiente construído. A partir das operações desta área é possível ter uma orientação estratégica para a atuação da organização como um todo.

Não restam dúvidas de que o profissional Facility Manager, entre outras características, deve ter multidisciplinaridade e facilidade para o relacionamento interpessoal. Com relação à Arquitetura Corporativa a sua contribuição é capaz de gerar uma série de vantagens.

Conforme disse Heloisa Dabus em uma matéria da revista Infra Facility Property:

“Quando o facility pode participar do projeto, ele só facilita o trabalho do arquiteto, pois conhece as necessidades da empresa. As chances de sucesso do projeto e da sua funcionalidade ficam maiores”.

A intervenção deste profissional é capaz de gerar soluções mais eficientes para as empresas, especialmente ao que diz respeito à praticidade da gestão e de possíveis alterações futuras na Arquitetura Corporativa. É ele quem será o responsável por promover melhorias contínuas para prolongar e otimizar o ciclo de vida dos ambientes prediais e, desta forma, assegurar o bem-estar dos usuários em seus respectivos espaços.

É o Facility Manager quem também ajudará a prever práticas e tecnologias sustentáveis. Questionado em uma entrevista do site AECweb se esta é de fato uma responsabilidade deste profissional, Francisco Abrantes, presidente da Abrafac – Associação Brasileira de Facilities, respondeu:

“Sem dúvida, é o facility quem vai sugerir […]. Desenvolvemos o estudo de viabilidade técnica, econômica e financeira, inclusive do payback desse investimento. Nós, da Abrafac, procuramos alertar os profissionais de facility para evitar ações de ‘greenwash’, ou seja, de adotar medidas do tipo ‘lavada verde’ nos prédios e nas empresas, sem implementar uma cultura de sustentabilidade, sem mudar hábitos […]”.

Se você quer ter uma empresa melhor planejada, mais competitiva e dinâmica, desenvolva a sua área de Facility Management. Seus processos e Arquitetura Corporativa apresentarão outros resultados… – E a longo prazo!