5 tipos de ambientes de trabalho para o presente e o futuro dos negócios


Tipos de ambientes de trabalho
Projeto de Arquitetura desenvolvido para a LogiGo.

A entrada das novas gerações no mercado de trabalho exigiu a quebra de muitos paradigmas, principalmente dentro daquelas empresas mais tradicionais. O comportamento acelerado, criativo e crítico dos jovens colaboradores superconectados intensificou a necessidade de mudanças fundamentais na forma de atuar. Isso, naturalmente, se refletiu nos tipos de ambientes de trabalho

Se antes escritórios fechados, com alocações e departamentos bem demarcados, eram praticamente regra, hoje vemos uma pluralidade de configurações que, em geral, já não levam em conta estruturas baseadas em hierarquias.

Mas quais as principais tendências observadas nesse sentido? Quais os tipos de ambientes de trabalho mais promissores?

Acompanhe os apontamentos!

Diversidade a favor da produtividade e do bem-estar

Já está claro para a maioria de nós que a empresa é, sim, uma espécie de segundo lar. Ali desenvolvemos habilidades, construímos relacionamentos e ocupamos boa parte das nossas vidas. Então, nada melhor do que tornar o escritório um local agradável!

Mas não só por isso. O mercado também impõe suas pressões. As incertezas diante das constantes mudanças geram estresse. A corrida contra o tempo produz ansiedade. Assim, todos precisam de espaços mais cuidadosos com as sensibilidades humanas e sua diversidade.

Companhias que têm buscado esse alinhamento relatam um clima mais gostoso, saudável e também mais produtivo.

Vamos entender algumas soluções…

Tipos de ambientes de trabalho para ficar de olho

A seguir relacionamos 5 interessantes orientações para a Arquitetura Corporativa adaptada aos novos desafios.

1. Agile office

Como o próprio nome já sinaliza, esse tipo de configuração busca criar espaços e recursos que priorizam a agilidade das operações. Aqui, as barreiras de comunicação são quebradas a partir de ambientes integrados. A produtividade é estimulada por meio de equipamentos interconectados e de fácil acesso. Busca-se aproveitar ao máximo o talento de cada colaborador, dando a ele liberdade para transitar e desenvolver as tarefas do dia onde achar mais oportuno.

2. Escritório multimodal

Assim como o agile office, o espaço de trabalho multimodal deixa os colaboradores livres para realizar suas tarefas, ou mesmo relaxar, onde se sentirem mais confortáveis. Diferentemente do open space, essa proposta apresenta diversos ambientes convivendo lado a lado. Apesar de, prioritariamente, não se valer de paredes e divisórias, o escritório multimodal entrega “ilhas” focadas em determinadas atividades. Entretanto, o curioso é que tudo pode mudar e ser reconfigurado. Se hoje aquela área foi usada para uma reunião informal, amanhã ela pode ser adaptada para a hora do café, por exemplo. Assim, é necessário contar com um layout prático/versátil e com um mobiliário de fácil movimentação.

Empresas que investem nesse formato visam acolher, promover e aproveitar melhor a variedade dos processos de pensamentos, a criatividade e a experiência de seus funcionários.

3. Espaço de trabalho biofílico

Recentemente falamos sobre a biofilia aqui no blog. Realmente, ela é uma tendência que tem tudo a ver com o presente e o futuro dos negócios. Isso porque sua intenção é trazer a natureza para mais perto das pessoas, que estão cada vez mais isoladas em lugares fechados – como o escritório. Além de propiciar uma atmosfera mais sensível ao ser humano, a biofilia vem ao encontro da sustentabilidade. Não só por favorecer uma maior integração de áreas verdes. Mas também por assinalar um consumo de energia consciente, uso de materiais ecologicamente corretos, processos que não agridem a atmosfera, entre outros fatores.

4. Funny office

Em meio a tanta pressão e estresse, um pouco de descontração é sempre bem-vindo. No trabalho isso pode ser levado por meio de um design mais engraçado, leve e até inusitado. Mas, claro, desde que tenha a ver com a identidade e a cultura da marca. O elemento “funny” pode estar num quadro debochado colocado na sala da diretoria. Em uma cor pouco convencional empregada no corredor. Em uma miniatura cabeçuda em cima da mesa. Ou quem sabe naquela poltrona diferentona. Não importa. Lugares não faltam para brincar, ousar e se destacar!

5. Ambiente resimercial

A mescla de ambientes residenciais e comerciais (daí o nome “resimercial”) surgiu, sobretudo, devido a quantidade de horas passadas atualmente dentro dos escritórios. Longe de suas casas e famílias, as pessoas tendem a se sentirem cansadas, preocupadas e menos estimuladas. Então, a ideia foi trazer o lar para dentro da empresa. Nessa perspectiva, a Arquitetura Corporativa adotou, em alguns projetos, aplicações como estações de trabalho com cadeiras mais espaçosas; copa da cozinha; área externa como quintal; redes para a descompressão; fotografias de entes queridos; entre vários outros elementos que ajudam a compor um cenário mais familiar.

Quer saber qual desses tipos de ambientes de trabalho é o melhor para o seu caso?

Calma. Antes precisamos estudar bem seu core business, sua equipe, suas necessidades, objetivos e possibilidades.

Por isso, entre em contato e deixe que nosso time se aprofunde sobre as soluções de Arquitetura Corporativa que realmente podem impulsionar os resultados da sua empresa.