5 dicas para gerenciar equipes em momentos de crise


Gerenciar equipes em momentos de crise

Momentos de crise podem ser inesperados, como no caso da luta contra o coronavírus. Podem também ser previsíveis, como a estagnação do mercado de Construção Civil por volta de 2015. Em ambos os casos é preciso lidar com um clima de incertezas e, muitas vezes, de desmotivação.

Como seguir em frente? E mais do que isso: como levar o time da empresa a ir adiante?

Gerenciar pessoas requer sensibilidade e também um alto grau de profissionalismo. É essencial que elas contribuam para minimizar os efeitos da crise, assim como para inovar e superar o desafio.

Mas o que pode ser feito frente a fases delicadas? Como se posicionar junto da equipe?

Hoje buscaremos respostas que podem contribuir significativamente nesse sentido. Acompanhe!

A importância da liderança em momentos de crise

Medo ou confiança. Desespero ou preparo. Paralisação ou criatividade. A maneira como a liderança age em momentos de crise fica evidente e se reflete diretamente sobre os demais. Portanto, aqueles que ocupam posições de destaque devem dar o exemplo.

Mesmo sem ignorar o problema, precisam agir de forma motivada, determinada e otimista. Devem firmar a missão do negócio, sem, porém, perder o lado humano.

Colaboradores sem essas boas referências acabam se sentindo inseguros e desmotivados. O que é péssimo para o clima organizacional, para a produtividade e os resultados.

Assim, em momentos de crise, a capacidade do líder de inspirar é colocada à prova. Logo, ele tem de estar bem preparado.

Veja as dicas para ajudar a gerenciar o time!

1. Fortaleça a comunicação

Criar uma maior aproximação entre as pessoas é importante para que elas se sintam apoiadas. Assim, é possível fortalecer a comunicação, evitando conversas paralelas negativas. As ferramentas digitais podem ajudar a manter essa proximidade de forma prática e constante.

2. Mantenha a seriedade e o comprometimento

Embora as crises provoquem instabilidades, não se pode abrir mão da organização e do comprometimento. Isso significa que é preciso continuar contando com a responsabilidade de todos. De forma compreensiva, os líderes devem se sentir à vontade para corrigir e (re) alinhar o que for necessário. Inclusive, esse é um bom momento para reiterar a missão do negócio, motivando o senso de propósito entre a equipe.

3. Seja empático

Pressionar não é o melhor caminho para conduzir o pessoal em momentos de crise. Neles, todos se encontram em situação parecida. Isso não deve ser sublimado. Contudo, o gestor tem de refletir o bom exemplo e buscar a união para que todos sejam beneficiados no final.

4. Tenha disposição para solucionar problemas

Falta ferramentas para melhorar os processos? Há discussões entre os colaboradores? Eles têm dúvidas sobre como adaptar suas tarefas? É preciso arregaçar as mangas e providenciar soluções para essas e muitas outras questões que possam surgir. Converse com o pessoal para identificar e antecipar necessidades. Promova treinamentos. Se mostre proativo em fornecer as melhores condições possíveis para que o trabalho flua.

5. Aponte perspectivas nos momentos de crise

Muitas dúvidas ficam no ar quando um contexto incerto se estabelece. É verdade que ter todas as respostas para ele pode ser inviável. Por outro lado, a empresa não deve se posicionar de maneira vitimizada e sem direção. Ao sinalizar as saídas que estão sendo buscadas e as projeções referentes a alguns aspectos, a equipe vai sentir maior segurança. Esse é um jeito também de reforçar a comunicação.

Com otimismo, força de vontade, união e foco no propósito maior tudo ficará bem e grandes lições serão aprendidas. Esteja certo!
Leia também nosso artigo sobre como a criatividade pode ser estimulada no trabalho.