5 erros de comunicação visual na Arquitetura


Erros de comunicação visual

Na Arquitetura a linguagem expressada por meio de imagens tem um papel essencial. A bem da verdade, cores, texturas e outros elementos não verbais fazem parte da natureza desse campo. Entretanto, isso não significa que erros de comunicação visual não possam ser cometidos. 

Cada detalhe empregado naturalmente já comunica algo. Porém, é necessário que o projeto os articule como um sistema coeso e objetivo. Para tanto, uma série de providências devem ser tomadas, como compreender muito bem a identidade e o posicionamento da marca.

Hoje veremos alguns dos equívocos mais comuns que podem comprometer a eficiência da comunicação visual na Arquitetura. Acompanhe e fique atento para evitá-los!

Afinal, o que são erros na comunicação visual?

Tudo aquilo que atrapalha a transmissão e a compreensão de uma mensagem pode ser entendido como erro de comunicação. Isso do ponto de vista de sua programação. Portanto, é necessário planejar muito bem para que o conceito desejado seja passado da forma mais clara e envolvente possível.

Não basta apenas chamar a atenção. É preciso garantir que os valores e a personalidade da marca ajudem a caracterizar uma ambientação única. Além disso, em alguns casos, a comunicação visual tem a missão de orientar os ocupantes por meio da sinalização.

Conheça abaixo os erros de comunicação visual na Arquitetura!

1. Não seguir o manual de identidade visual

O manual de identidade visual contém os direcionamentos para a correta aplicação da marca. Ignorar esse material é se aventurar por um caminho duvidoso, em que a padronização não é respeitada. Desta forma não é possível trabalhar Arquitetura dentro da identidade correta. 

2. Não testar materiais

A escolha dos materiais é muito importante, pois eles ajudam a construir a linguagem visual. Assim, antes da compra, não se pode deixar de verificar sua aplicação nos locais predefinidos. Texturas, cores e formas devem estar alinhadas com a imagem do negócio.

3. Ignorar a qualidade

Ideias parecem sempre incríveis no papel. Mas, na hora de colocá-las em prática, entra em cena um fator crucial: o preço. Este é outro aspecto que tem de ser cuidadosamente pesquisado. Muitos acabam optando por soluções mais em conta, sem lembrar que o barato pode sair caro. Por isso, a qualidade jamais deve ser perdida de vista! De nada adianta ter elaborado uma identidade visual incrível se, na hora de aplicá-la, os materiais não a valorizarem e nem forem resistentes.

4. Esquecer a acessibilidade

Mesmo que estejamos falando de uma questão “visual”, vale lembrar, que um projeto de Arquitetura não pode esquecer daqueles que não podem enxergar. Portanto, trabalhar texturas e sons que ajudam a guiar essas pessoas é fundamental. Já entre outros tipos de deficiência, deve-se considerar o alcance da visão. Uma placa de sinalização que esteja muito no alto, por exemplo, pode não ser avistada por um cadeirante. 

5. Poluição visual

O excesso de apelos e informações compromete a comunicação visual porque isso a torna confusa. Assim, apenas os elementos essenciais para transmitir a ideia devem permanecer. Efeitos estéticos paralelos, em geral, mais atrapalham do que ajudam. 

Continue acompanhando o nosso blog para saber mais sobre o universo da Arquitetura. Você também pode nos seguir no Instagram para conferir outros conteúdos e dicas!